fbpx
Bora Viajar 4 Cantos | Seguro viagem: A importância de viajar segurado
15809
post-template-default,single,single-post,postid-15809,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,transparent_content,qode-theme-ver-17.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.5,vc_responsive

Seguro viagem: A importância de viajar segurado

Seguro viagem: A importância de viajar segurado

Uma viagem, seja para um local próximo ou mais distante, começa muito antes do embarque. Com o acesso a informação e tecnologia atual, o turista consegue antecipar uma série de questões desde o planejamento dos locais a serem visitados até compras de ingressos em atrações muito concorridas a preços mais acessíveis. Toda essa antecipação tem como objetivo assegurar que tudo corra bem e a viagem seja um sucesso.

Porém, todos nós estamos sujeitos a imprevistos. E para se prevenir é fundamental a contratação de um seguro viagem. Com valores a partir de US$ 30 (trinta dólares) o viajante fica segurado por um período de até 12 dias.

De acordo com Eduardo Aoki, CEO da Intermac Seguros, empresa especialista e com 20 anos de experiência no mercado de seguro viagem, a contratação é considerada primordial, principalmente em viagens para o exterior.

“O custo-benefício do seguro é muito bom. Se uma pessoa comum precisar de um atendimento básico de emergência nos Estados Unidos, vai acabar gastando no mínimo US$ 1.000 (mil dólares), enquanto uma cirurgia de vesícula pode chegar facilmente aos US$ 13.000 (treze mil dólares), por exemplo”, explica Eduardo.

Em muitos casos, o seguro viagem é obrigatório. Na Europa, por exemplo, por conta do Tratado de Schengen, na maioria dos países é exigido o seguro em caso de doença e acidentes com valor mínimo de € 30.000 (trinta mil euros).

“Países como Canadá, Cuba, Equador e Venezuela também exigem seguro e podem acabar barrando a entrada do turista. Além destes locais, recomendamos a contratação do seguro viagem para certos grupos específicos de viajantes como grávidas, idosos e praticantes de esportes amadores”, comenta.

A cobertura dos seguros não se restringe apenas à área de saúde. Engloba também a parte jurídica local, bem como algumas questões referente às companhias aéreas, como cancelamentos, atrasos de voo e extravios de bagagens.

“Em alguns lugares do mundo as leis são bem diferentes e muitas vezes mais rigorosas que no Brasil. Em caso de acidente de carro, por exemplo, o seguro oferece total apoio jurídico, disponibilizando o serviço de advogado no local”, destaca Eduardo.

DICAS PARA ESCOLHER O MELHOR SEGURO

1 – A principal dica é ter o conhecimento de que o seguro viagem não funciona como um plano de saúde no exterior. Ele é exclusivo para emergências e urgências, inclusive no caso de grávidas. Exames de rotina não estão inclusos;

2 – Verificar a idoneidade da companhia e o tempo que ela possui de mercado;

3 – Respaldo das seguradoras parceiras da companhia;

4 – Verificar se a cobertura e os benefícios são adequados ao local e às características do destino.